quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Raul Seixas - You tube e crônica - A Arte de Sonhar - Motociclístas em Itaperuna



Sabe!? Quando se está embriagado por uma mesmice
que nem as belezas das pequenas coisas podem amenizar?
Você nem consegue definir com precisão o que está acontecendo,
sentindo apenas uma sede desenfreada de liberdade.
Porém, tudo leva a uma repetição fria do mórbido
mecanismo do agir, agilizar e prosperar...
Mas percebe que nesse meio você é apenas uma máquina!
Queria mais que isto!
Pois agora, dentro destas quatro paredes,
é apenas uma máquina em repouso a espera
de uma nova semana de trabalho
e a sede volta a incomodar...

Abre o computador à procura de algo para viajar
e que possa respirar sua mente desejosa.
Muita informação!
Chega a suplantar aquela sede...
Bebe-se informação!
Há informações realmente que valham
e outras que são passadas com indiferença,
pois uma máquina saudável não liga para certas futilidades
baderneiras como “Encontro de Motociclistas”
que está para acontecer,
“Não vou num lugar desses, nem morto!”,
soa ecoando em sua mente como a mais pura verdade,
e, como não existe verdade,
deste eco rebate o desejo de soltar as amarras da vida
e mergulhar na morte para saber,
se esse pensamento é realmente verdade!
Outra defesa se apresenta:
“Não, não é minha praia!”,
mas questionamento é bom.
“E eu, aqui nesta minha praia, vou ficar preso aqui nessa rede?
Coragem! Coragem! Eu sei que você pode mais!!!”
Como embriagado não tem muita repressão,
deixa-se o impulso falar mais alto
e segue-se cambaleando para o tal encontro...

Muitas luzes, muita gente, mas poderia ter mais...
ainda não me sentia à vontade.
Motos de todos os tipos,
cada uma mais bela que a outra,
mostrada por seu proprietário
como se fosse uma extensão dele, e,
no corpo como uma segunda pele o roupão de couro,
onde se percebia claramente seu código genético
estampado no logotipo de sua família...
Sim... Uma família!
Aquilo era um encontro familiar de motociclistas!
Cada família expunha seus brasões,
compartilhavam suas vidas e emoções para seus iguais.
Como numa “cavalhada”, torneio medieval,
suas motos pareciam cavalos da nobreza e seus cavalheiros.
Ali a família é feita por opção e não por acaso genético.

Dentre os clãs presentes,
estava o de Alex Barros
e os Motociclistas do Globo da Morte,
desafiando a gravidade dentro do espaço limitado de uma esfera.
Os Credenciáveis representando melodias eternas
do grupo Creedence Clearwater Revival,
temas do filme Easy Rider e suas próprias músicas.
Como a estrela maior da irreverência
ressurge iluminando a noite
o Grande Raul Seixas
na apresentação do seu cover Ayrton Ramos
fazendo com que a juventude
que não o conheceu pudesse ter a satisfação
de ver uma apresentação sua,
acompanhado pela banda Energia,
que depois também deu seu show.
Como a liberdade é feita com responsabilidade,
no domingo, é desfeito o acampamento
e a preparação para voltar às suas casas começa logo cedo
e para” fechar com chave de ouro”
o grupo “Carbono 14”,
não deixou por menos,
fez o encerramento debaixo de um sol áureo
e escaldante com muito Rock!

Com o sucesso deste primeiro encontro
já se ouvia confirmações
para que no ano que vem dê um sucesso ainda maior!

Só curtiu quem foi!!!

Marco Antonio Mattos Rezende 2008-08-05
.

2 comentários:

Lúcia disse...

Gostei muito,deu até para viajar nas palavras,nas frases,como se tivesse ido ao evento.

Nábila disse...

Um novo vento sopra pelas bandas de cá...